A História da MPB

A Influência Da Música Norte-Americana, Em Decorrência da II Guerra


     Os Estados Unidos viveram, na época da Segunda Guerra Mundial, seus anos de ouro. Os filmes Hollywoodianos estavam no auge e os musicais tiveram, nesse período, seu apogeu. Na música, o maior destaque ficava para as grandes orquestras como as de Gleen Muller, Tomy Dorsey e Jimmy Dorsey; entre as vozes de maior realce, estavam as de Frank Sinatra e Bing Crosby. Com o avanço da tecnologia, principalmente no campo da comunicação, toda essa profusão de valores seria divulgada e aceita por vários recantos do mundo. Aqui no Brasil, a orquestração tomou um novo impulso, com a adaptação de arranjos modernos, numa constante busca de qualidade no nível americano.

O Samba de meio de ano ou samba-canção alcançaria, então, seu ponto máximo, como exemplo do que basta citarmos "Copacabana", de João de Barro e Alberto Ribeiro; "Marina", de Dorival Caymmi; "Segredo", de Herivelto Martins e "Minha Casa", de Joubert de Carvalho. No pós-guerra, far-se-ia famoso por todo o país um cantor muito afinado que se havia inspirado num dos maiores astros americanos(Frank Sinatra). Falamos de Dick Farney, que fez enorme sucesso no Brasil, entoando sambas-canções. Em fevereiro de 1947, seguiria para os Estados Unidos, onde gravou músicas americanas pela Majestic Records e tornou-se ídolo popular. Dick Farney, apesar de excelente artista, tem descaracterizada a sua imagem de intérprete da música popular brasileira devido à profunda influência que exerceu sobre ele a musicalidade americana.