A História da MPB

A Viagem de Carmem Miranda Para Os Estados Unidos da América


     Em fins da década de trinta, Carmem Miranda já era a cantora brasileira mais requisitada. Cantando no Cassino da Urca, teve a oportunidade de ser vista pelo empresário americano Lee Shubert, que se encontrava na Cidade Maravilhosa em viagem de passeio e havia ido apreciar a bela voz de Carmem, acompanhada pelo grupo "Bando da Lua". Entusiasmado pelo talento dos artistas, em especial pelo de Carmem, o empresário convidou-a para jantar consigo no navio francês "Sonja Henie", ocasião em que lhe faria a proposta de se exibir nos Estados Unidos, fazendo temporada em Nova York. O contrato inicial seria de oito semanas e Carmem aceitou a proposta, mesmo tendo pendentes vários compromissos aqui no Brasil. Toda a imprensa se mobilizou para saber as verdadeiras bases do contrato mas ela nada revelou. E assim partiria, no dia 04 de maio de 1939, no navio "Uruguai", acompanhada pelo "Bando da Lua", rumo aos Estados Unidos.

Com o grupo, a música popular brasileira seguia a caminho da conquista da Broadway. O embarque foi marcado por várias manifestações, tendo um grande número de pessoas ido ao porto despedir-se de seu ídolo. Chegariam a Nova York no dia 17 de maio e estreariam no dia 25, na Revista "Streets of Paris", em Bostom. A estréia em Nova York ficou marcada para o dia 16 do mês seguinte e Carmem, sempre acompanhada pelo "Bando da Lua", revolucionou a Broadway e tornou-se ídolo popular. Em 1940, participaria, cantando, do filme "Serenata Tropical" e se apresentaria para o presidente Roosevelt, na Casa Branca. Já definitivamente consagrada no país dos Ianques, Carmem imprime suas mãos na Calçada da Fama, no Teatro Chinês, em Los Angeles. Atua em mais de treze filmes de Hollywood, até 1953, reconhecida como ídolo num país onde a aceitação de artistas estrangeiros é muito difícil.