A História da MPB

A Década de Ouro da Música Popular Brasileira e Os Carnavais de Lamartine Babo


     A década de 1930 foi a mais rica que já houve na música popular brasileira. Logo no seu primeiro ano, são lançados Noel Rosa e Carmem Miranda, que brilharia nos festejos momescos com a marcha "Ta hi", levando seu nome aos mais longínquos recantos desse país-continente. Aliado a isso, surgem novos valores e o carnaval, então a festa mais popular, toma maior impulso. Em 1931, "Com Que Roupa", de Noel Rosa, torna-se um dos sucessos mais estrondosos. Esse período é marcado pelas grandes orquestrações, por arranjos inesquecíveis, como o feito por Pixinguinha para sua música "Carinhoso", com letra de João de Barro, lançada em 28 de maio de 1937.

A produção de ídolos é das mais fecundas, pois surgem Orlando Silva, Francisco Alves, Vicente Celestino, Mário Reis, todos eles alcançando sua maior performance. O Rádio acelera ainda mais a divulgação de nossa música popular e pode-se dizer que é oriundo dessa época o que há de mais belo no nosso cancioneiro popular. Em 1933, Assis Valente lança "Boas Festas" que se tornaria o hino das festas de natal brasileiras, na voz de Carlos Galhardo, um cantor que apenas começava. Nos três primeiros anos da referida década, lança-se ainda, com toda força, Ismael Silva, que teve suas músicas gravadas por uma das maiores duplas de cantores já registradas: Francisco Alves e Mário Reis. Em 1934, outro grande músico tomava lugar de destaque: Era Custódio Mesquita, que lançava para o carnaval daquele ano a marchinha "Se a Lua Contasse", na voz de Aurora Miranda, irmã de Carmem Miranda, mais uma artista que também se lançava naquele ano com sucesso.

No ano seguinte, seriam lançadas as músicas "Minha Palhoça" e "História Junina", de Leonel Azevedo e J. Cascata, gravadas pelo grande Sílvio Caldas. 1936 foi o ano de lançamento de "Palpite Infeliz", de Noel Rosa, que poria fim à briga deste com Wilson Batista, iniciada em 1932. O ano de 1937 começa com um infausto acontecimento para o mundo da música: a morte de Noel. Mas a produção musical continua com o lançamento de "Camisa Listada", de Assis Valente, na voz de Carmem Miranda, e "Yes Nós Temos Bananas", de João de Barro, na voz de Almirante, outro grande intérprete que se inicia nessa década. Em 1938, apareciam de uma só vez Ciro Monteiro e Lupiscínio Rodrigues, que compôs "Se Acaso Você Chegasse", responsável pelo sucesso imediato de Ciro Monteiro, dando-lhe o lugar de campeão de vendagem de discos. O surgimento do baiano Dorival Caymmi encerraria, com chave de ouro, essa década tão rica. Em 1939, Carmem Miranda gravaria "O Que É Que a Baiana Tem?", em disco Odeon nš 11710, da autoria de Caymmi, lançando-o no cenário nacional, de forma definitiva.